quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Fino Coletivo


FINO COLETIVO

Uma união inusitada entre Alagoas e Rio de Janeiro é a trama de sete músicos


A história da banda começou em meados de 2005, após encontro dos alagoanos Wado e Alvinho Cabral, do projeto "Wado e Realismo Fantástico", com o compositor carioca Marcelo Frota, o Momo.

Passada uma fase de troca de experiências entre a dupla nordestina e o músico carioca, surgiu então a idéia do trio juntar suas turmas. Wado e Cabral apresentaram ao grupo Adriano Siri, da banda Santo Samba. Marcelo levou o também carioca Alvinho Lancellotti, compositor e parceiro de longa data.

Estava formado o quinteto, num caso de afinidade à primeira vista. As composições surgiram com naturalidade, até o despertar de uma nova empreitada.
Com um repertório inédito e inovador nas mãos, era preciso convocar mais dois amigos: o baixista Daniel Medeiros, também responsável pelas programações, e o baterista Marcus Coruja.

Depois de azeitar o repertório e sonoridade em apresentações no eixo Rio-São Paulo, a banda sentiu-se à vontade para a gravação do disco de estréia, homônimo, que será lançado em abril pela DUBAS.

São doze músicas inéditas, de composição própria, e parcerias com Ivor Lancellotti e Totonho dos Cabra. O CD conta ainda com participação especial de Domenico Lancellotti, do projeto “+2”.
Por conta de projetos pessoais Wado e Marcelo Frota não estão mais na banda, porém continuam presentes nas composições.

FINO COLETIVO é:

Adriano Siri – voz / Alvinho Cabral – guitarra e voz / Alvinho Lancelloti – voz / Daniel Medeiros – baixo e voz / Marcus Coruja – bateria /

Download: Fino Coletivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário