terça-feira, 27 de abril de 2010

Silvia Machete - Bomb of Love


A carioca Silvia Machete trocou o Rio de Janeiro pelo picadeiro e saiu mundo afora dependurada num trapézio, fazendo malabarismos, palhaçada e comendo muita banana. Já se apresentou em mais de 30 países, ganhando prêmio e colhendo louros (e alguns morenos também).
Há sete anos trocou a banana pela maçã e foi morar em Nova Iorque, onde reside e trabalha. É lá no East Village, bairro boêmio novaiorquino, que se pode ver Silvia, com seus bambolês, seu vestidinho vermelho e violão debaixo do braço (como ela consegue carregar isso tudo, ainda mais de salto alto??? ). My God! Ela é realmente talentosa.
Em suas apresentações ela consegue misturar o que mais gosta de fazer: divertir o público, bambolear seus 20 bambolês, e, claro, cantar composições próprias (e impróprias), sempre romântica, mas com um pé no humor.
No verão de 2006, Silvia Machete voltou ao Rio para apresentar o show "Cabaré Bamolê" (e pegar uma praia, claro) e pra gravar seu cd "Bomb of Love", reunindo um time de feras: Rubinho Jacobina (piano), Nelson Jacobina (guitarra), Domenico Lancellotti (bateria) Stephane San Juan(percussão), Rodrigo Bartolo (baixo) e Thiago Charbomez (trompete).
Bom, com o cd gravado, a cantora acrobata nao vai descansar, vai rodar o mundo, mas sempre voltando pra suas duas cidades preferidas: Rio de Janeiro e Nova Iorque.
Enquanto ela nao pinta por essas bandas tropicais, voce pode ir ouvindo o cd "Bomb of Love - música safada para corações românticos".
Aproveite!!

Download: Silvia Machete




terça-feira, 20 de abril de 2010

The Hot Hats - Turn Ons

O nome The Hot Rats é pouco conhecido por aí, mas por traz dele se encontram dois músicos já familiarizados com o sucesso: Gaz Coombes e Danny Goffey, integrantes do Supergrass. Na verdade esta nova banda é um projeto paralelo formado pelos músicos apenas para tocar composições de outras bandas, principalmente enquanto o baixista do Supergrass, Mick Quinn, se recuperava de uma operação na coluna.

O que era apenas um passatempo rendeu um disco muito interessante, “Turn Ons”. Este álbum traz um apanhado de músicas que artistas que influenciaram Coombes e Goffey em sua formação.

Em algumas das 12 faixas que compõem o disco a dupla manteve o mesmo clima da versão original e em outras a música foi praticamente reconstruída no estilo do The Hot Rats. Bons exemplos das que mantém muito da versão original é “The Lovecats”, um dos sucessos do The Cure. A versão continua dançante, mas ganhou um clima mais Rock n’ Roll e moderna.

Outra que não foi muito modificada é “The Cristal Ship”, uma das melhores músicas do The Doors. A versão do Hot Rats manteve o clima ‘viajante’ da original, mas também adicionou energia extra nas partes mais barulhentas. Ótima versão.

Uma música que esta bem diferente do original é “(You Gotta) Fight for Your Right (to Party)”. A nova roupagem deu uma cara sessentista ao clássico dos Beastie Boys.

O repertório passa pelos anos 60, 70 e 80 e consegue fazer músicas tão diferentes como “E.M.I.”, dos Sex Pistols, e “Bike”, do Pink Floyd, conviverem no álbum sem grandes problemas. E sem causar estranheza na audição. A despretensão do projeto ajudou a criar um disco gostoso de ouvir.



01. I Can't Stand It (The Velvet Undergroud)
02. Big Sky (The Kinks)
03. The Crystal Ship (The Doors)
04. (You Gotta) Fight For You Right (To Party!) (Beastie Boys)
05. Damaged Goods (Gang Of Four)
06. Love Is The Drug (Roxy Music)
07. Bike (Pink Floyd)
08. Pump It Up (Elvis Costello)
09. The Lovecats (The Cure)
10. Queen Bitch (David Bowie)
11. E.M.I. (Sex Pistols)
12. Up The Junction (Squeeze)


terça-feira, 6 de abril de 2010

Wado e Realismo Fantástico - A Farsa Do Samba Nublado


Wado estreou na cena musical brasileira com um disco que chamava a atenção já no título: Manisfesto da Arte Periférica. De cara, Wado procurava cutucar o público, tentando mostrar que se fazia música boa fora do eixão RJ/SP. "Eu tenho muita vontade de lutar pelo reconhecimento das outras regiões brasileiras, de criar mercados locais que sejam integrados a outros mercados locais e que permitam um intercâmbio maior entre os independentes", dizia o músico em entrevista ao S&Y, isso três anos atrás.



Mais de mil dias se passaram, Wado lançou um segundo disco bastante elogiado, tocou na primeira edição do Tim Festival, no Rio de Janeiro, em 2003, e seguiu na difícil estrada dos jovens músicos no Brasil, fazendo música, tocando, trabalhando, tocando e fazendo música. E trabalhando, mas não deixando de tocar. "Ainda temos o sonho de viver de música", diz Wado, apresentando seu terceiro álbum. "É um disco estranho, que contém sambas estranhos e músicas de letras fortes e sonoridade de estúdio profissional".



A Farsa do Samba Nublado (Outros Discos) traz algumas mudanças, tanto em sonoridade quanto nas letras e em conceito. Primeiro de tudo: a banda agora assina Wado e Realismo Fantástico. "Acreditamos que assim seja mais justo". As letras: "Estão mais longas, o que é uma diferença de abordagem que eu queria tentar, passar longe da concisão que são as letras dos outros discos, tentar algo novo". O som: "Os arranjos estão mais bem resolvidos", garante.



Ok, é preciso dizer que isso tudo é teoria. Na prática, estender o nome da banda significa que o grupo está unido e, que tudo o que vier, de alegrias a tristezas, será dividido por quatro. As letras podem até estar mais longas, mas estão mais decifráveis (seja lá o que isso queira dizer). É possível ouvir o disco uma vez e sair cantarolando as canções em seguida, e isso é mérito. Quanto ao som, esse é o disco mais direto da banda. E o mais triste. Rock e samba se influenciam, se abraçam e saem de mãos dadas pelo salão. Alvinho dispensa a guitarra e aposta no som do violão, claro, atulhado de efeitos e de wah wah. O resultado é um som dançante, pop, inteligente e com um q de melancolia e de nuvens negras.

1. Tormenta
2. Grande poder
3. Vai querer?
4. Alguma coisa mais pra frente
5. Carteiro de favela
6. Gargalhada fatal
7. Fuso
8. Amor e restos humanos
9. Se vacilar o jacaré abraça
10. Ode à maldade
11. Deserto de sal
12. Pé de carambola (bonus track)


Download:Wado