domingo, 29 de abril de 2012

Som Brasil Nordeste 70 (27/04/1012)



Elba Ramalho canta “Mucuripe” (Fagner e Belchior), “Avôhai” (Zé Ramalho), “Táxi Lunar” (Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Alceu Valença), “Paralelas” (Belchior) e “Pavão Misterioso” (Ednardo). Nuria Mallena apresenta “Velha Roupa Colorida” (Belchior), “Dona da Minha Cabeça” (Geraldo Azevedo e Fausto Nilo) e “Noturno” (Graco/Caio Silvio, sucesso de Fagner em 1979). Karina Buhr interpreta “Revelação” (Clodo Ferreira e Clésio, sucesso de Fagner em 1978), “Apenas um Rapaz Latino Americano” (Belchior) e “Cavalo Ferro” (Fagner e Ricardo Bezerra). “A Palo Seco” (Belchior), “Frevo Mulher” (Zé Ramalho) e “Admirável Gado Novo” (Zé Ramalho) ficam com Zé Cafofinho e Suas Correntes.

Download: Nordeste 70

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Curumin - Arrocha (2012)



"Arrocha" vem "mais pesado" que seus discos anteriores --"Achados e Perdidos" (2003) e "JapanPopShow" (2008)--, explica Curumin, que assina a produção com Lucas Martins e Zé Nigro.

"Ele é diferente dos outros, é um pouco mais eletrônico, foi mais feito dentro do computador, dentro das máquinas, é mais pesado", explica.

O hip-hop à moda Curumin também está de volta, e deve ser o fio condutor do novo trabalho. "[O disco] volta um pouco mais para as batidas de hip-hop. É mais nessa onda".

O apreço do músico pelo estilo e pelo experimentalismo com ritmos brasileiros também se refletiu na escolha de um dos convidados: Russo Passapusso, MC e compositor de Salvador. "Eu fiquei muito impressionado com a qualidade das composições dele. Ele é MC, mas também tem um lado mais tradicional, de composição baiana. Você vê ali coisa do Gil, do Riachão, de Dorival... é muito intuitivo", conta Curumin.

Eles se conheceram durante um show do trompetista Guizado, em São Paulo, do qual participaram. "Foi uma coincidência", conta. "O BNegão já tinha me dado um toque [sobre ele] antes".

Curumin gravou uma música do MC chamada "Passarinho", e Passapusso empresta a voz a uma canção de Curumin, "Afoxoque".

Céu, Gui Amabis e Edy Trombone também dão suas contribuições ao disco.


Download: Arrocha

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Café Preto (2012)



E aí, galera. Tudo beleza? Então…

Estou com um projeto totalmente diferente da DEVOTOS, se chama Café Preto, e é um disco realizado por mim em parceria com o DJ e produtor Bruno Pedrosa e o também músico PI-R. As letras são de minha autoria e as programações e samples feitas por Pedrosa. A produção musical é assinada por Pedrosa e PI-R.

Sempre fui eclético em relação a ouvir música, gosto de vários estilos, e claro, o Punk Rock e o Hardcore estão no sangue. Mas o Reggae tem uma parada, que eu sempre quis cantar, por favor, não me peçam para explicar pois não vou conseguir. Só sei que é uma energia muito boa.

Neste trabalho as influências sonoras escolhidas por mim foram o dub e o ragga, ritmos derivados do reggae roots jamaicano. CAFÉ PRETO tem como convidados especiais alguns dos mais talentosos músicos da manguetown. Fred Zeroquatro e Areia (mundo livre s/a), Chico Tchê, Publius, Ori, Marcelo Campello, Berna Vieira e Zé Brown, além do carioca Ras Bernardo, fazem parte da nossa história com muito prazer.

A minha voz aparece com delays e reverbs característicos do dub. Para quem sempre me viu na Devotos, minha banda com os parceiros Neilton e Celo, me ver agora cantando influenciado por ritmos jamaicanos chega a ser uma experiência inusitada. Em tempo: DEVOTOS continua firme e forte!

O disco foi todo concebido no Estúdio do Poço, em Recife, entre os meses de março e agosto de 2007. A mixagem ficou por conta do nova-iorquino Victor Rice e do paulistano Mau no estúdio COPAN, em São Paulo. Amasterização foi feita pelo engenheiro de som Fernando Sanches no estúdio EL ROCHA, em São Paulo, em setembro de 2011.

A arte da capa tem a assinatura de Jorge Dü Peixe, h.d. Mabuse e Haidée Lima (autom.ato), e o lançamento do disco acontece em 2012. Estamos ensaiando e as músicas já estão todas prontas para o show.

Café Preto é: Eric Gabino (baixo), PI-R (teclados e programações), Marcus Antonio (guitarra), Bruno Pedrosa (programações, samples e efeitos), Pernalonga (bateria) e Cannibal (voz).

Logo mais vamos colocar aqui a pré-venda do VINIL e CD, mas enquanto o disco não sai, fiquem a vontade para baixar!!!  Jah Bless!

Cannibal.

Alto José do Pinho – Recife.

23.04.2012

Download: Café Preto

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Cabruêra - Nordeste Oculto (2012)


NOVO CD DA CABRUÊRA FAZ PARTE DE PROJETO DE ARTES INTEGRADAS QUE UNE A MÚSICA DO GRUPO PARAIBANO, O TRABALHO FOTOGRÁFICO DE AUGUSTO PESSOA E TEXTOS DO CITARISTA ALBERTO MARSICANO "Nordeste, vórtex magnético, chakra terrestre onde várias tradições magísticas se entrelaçam. O Nordeste oculto, o Nordeste abissal, o Nordeste secreto, o Nordeste não mapeado pelo ardil cultural colonizador. Esse trabalho resgata uma tradição iniciática que resistindo séculos de inquisição, colonialismo, intolerância religiosa e demais tentativas de "demonizar" a civilização nordestina, mantém-se solene e incólume geração pós geração". O texto - intenso e ao mesmo tempo poético - de Alberto Marsicano, prefacia o projeto Visagens Nordestinas e introduz o leitor-ouvinte numa intrigante fusão de música e imagem. Reunindo num só produto o trabalho do fotógrafo Augusto Pessoa e o som da banda Cabruêra, Visagens Nordestinas mergulha na vasta e pouca conhecida dimensão metafísica do Nordeste brasileiro


Download: Nordeste Oculto


domingo, 8 de abril de 2012

Dudé Casado - Antes que Escureça (2012)


Natural de Juazeiro do Norte - CE, Dudé Casado toca desde adolescente e desenvolveu-se musicalmente de forma autodidata, já participa da cena musical a mais de 10 anos, como guitarrista e violonista. Começando a tocar em bandas de rock na cena underground caririense em meados dos anos 90, passando por vários grupos de estilos diferentes dentro desse gênero.
Em 1998 foi um dos fundadores do grupo Dr. Raiz que teve mais de 10 anos de estrada, tendo fim em 2010, sendo pelo tempo de existência da banda um de seus membros mais ativos. Com o Dr. Raíz ganhou vários festivais, como o Festival Regional de Missão Velha - CE e o Festival SESC da Música Cearense, promovido pelo SESC Ceará. Representou o estado no FEMUSIC - PR. É integrante do Movimento Cabaçal. Divulgou seu trabalho em rede local (TV Verdes Mares, TV Jangadeiro, TV Diário e TV Ceará) e em rede nacional, no quadro \"Novos Sons do Brasil\" do Jornal Hoje (Rede Globo). Já fez apresentações em vários espaços importantes do interior cearense, na capital e em outros estados: Ceará - SESCs - Juazeiro do Norte, Crato, Sobral, Aquiraz e Fortaleza (emiliano Queiroz); I, II, II,IV, V e VI Mostra SESC Cariri de Teatro; Mostra Cariri das Artes; Bienal de Artes do Cariri; Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura; Teatro José de Alencar; V bienal Internacional do Livro; V Acampamento Latino Americano da Juventude (Icapuí); UFC (Universidade Federal do Ceará); URCA (Universidade Regional do Cariri); Festa de Santo Antônio de Barbalha; Expocrato; Festival Vida e Arte; Ceará Music 2002 e 2003; Circuito Cultural Banco do Brasil; XV Cine Ceará; SBPC Cultural (UECE); Circuito Ceará de Cultura; I Encontro Mestres do Mundo; I Festival Internacional de Travadores e Repentistas; Festival de Teatro de Guaramiranga e Festival da Diversidade Cultural 2007 (Tangolomango Fortaleza - Dragão do Mar). Alagoas - Maceió - FEMUSESC (Mostra de Música do SESC Alagoas. Paraíba - Cajazeiras - UFPB (Universidade Federal da Paraíba) e Campina Grande ? UEPB (Universidade Estadual da Paraíba). Pernambuco - Recife - Carnaval Multicultural 2006 e Bodocó - Festa de São José. Piauí - Teresina - \"O Setão Vai Virar Mar\" e Festival T.H.E. Music. São Paulo - São Paulo ? SESC Ipiranga e SESC Pompéia (Prata da Casa). Paraná - Maringá - FEMUCIC - Festival Musical da Cidade Canção. Mato Grosso ? Cuiabá - ENEL (Encontro Nacional dos Estudantes de Letras) na UFMT (Universidade Federal do Mato Grasso). Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - (Circo Voador) Festival da Diversidade Cultural 2007 (Tangolomango).
Hoje com seu trabalho solo, além de tocar os instrumentos, canta também suas próprias canções. Com um gosto eclético, Dudé sempre absorveu naturalmente várias influências de universos musicais distintos, desde a música de raiz, provinda dos grupos de cultura popular da região, reisados, bandas de pífano, repentes, emboladas... até bandas como The Beatles, The Doors, Pink Floyd, Black Sabbath, Sepultura... Trata-se de um show de rock ora vibrante e ora progressivo, junto com a bateria, o baixo, o teclado e o violão, as canções em si ainda tratam do seu estilo que perdurou, adicionando ao peso de sua guitarra, a melancolia e aos presságios que as letras impõem.


Download: Dudé Casado