Mostrando postagens com marcador Rosemberg Cariry. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rosemberg Cariry. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Rosemberg Cariry























Filósofo de formação, Rosemberg Cariry começou sua carreira cinematográfica em 1975 com documentários de curta metragem sobre artistas populares e manifestações artísticas do Ceará e do Nordeste. Depois, já na década de 1980, realizou os seus primeiros filmes documentários profissionais.
Em 1986, realizou seu primeiro filme de longa metragem (documentário),
A Irmandade da Santa Cruz do Deserto, episódio de resistência camponesa que ocorreu em 1936 e que terminou tragicamente com a intervenção armada do governo e com milhares de camponeses mortos. Essa história era um tabu e foi abordada pela primeira vez, com grande repercussão. O filme foi premiado nacionalmente e recebeu convite para participar de festivais em Portugal e Cuba. A partir de 1987, Rosemberg Cariry foi contratado pela televisão Verdes Mares para produzir programas culturais e realizar documentários sobre a história e as artes do Nordeste do Brasil.
Em 1993, quando a produção de cinema no país havia entrado em completo colapso, ele filmou, ainda como cineasta independente, seu segundo longa-metragem (ficção)
A Saga do Guerreiro Alumioso. Esse filme foi finalizado com apoio da Cinequanon de Lisboa e do Instituto Português de Arte Cinematográfica (IPACA). A ação se desenrola em uma cidade imaginária dos sertões. Ele mostra o confronto tradicional entre os camponeses e os grandes proprietários de terra, que será resolvido por um Dom Quixote sertanejo que se identifica com o mito de Lampião. O filme ganhou o prêmio de “Melhor Filme do Júri Popular”, o prêmio de “Melhor Ator” e de “Melhor Ator Coadjuvante”, no XXVI Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 1993. A Saga do Guerreiro Alumioso marcou, de alguma forma, junto com três outros que foram produzidos na época, o movimento de resistência do cinema brasileiro. Esse filme foi selecionado para representar o Brasil no Festival dos Três Continentes de Nantes (França) e participou de muitos outros festivais internacionais: Portugal, Itália, Colômbia, Cuba, Canadá, Estados Unidos da América, Uruguai, Bélgica, etc.
Em 1995, Rosemberg Cariry obteve o Prêmio da Retomada do Cinema Brasileiro, em concurso realizado pelo Ministério da Cultura e pôde começar a produção do seu terceiro filme de longa metragem, ficção, que se chamou
Corisco e Dadá. O filme, baseado na história verídica de um casal de cangaceiros célebres nos anos 40, mostra em toda a sua dimensão trágica, a luta do homem pela sobrevivência nos sertões secos e miseráveis do Nordeste.Corisco e Dadá, um dos filmes do chamado “ Renascimento do Cinema Brasileiro ”, foi bem recebido pela crítica, teve lançamento comercial em muitas cidades brasileiras e obteve inúmeros prêmios no Brasil e no exterior, notadamente o Prêmio do Grande Coral ( 3º prêmio) em Havana (Cuba) e o Prêmio Cittá del Vasto (Adventure Film Festival), na Itália. Entre os muitos festivais internacionais de que participou, destacam-se :Toronto, Trieste, Toulouse, Nantes, Pal Springs, New Delhi, Chicago e Ankara.
Paralelamente à sua atividade, Rosemberg Cariry publicou também várias coletâneas de poesia, compôs canções com compositores regionais e exerceu atividade de jornalista cultural. Contribuiu notadamente para o reconhecimento e valorização da cultura popular tradicional nordestina. Por ter participado amplamente da preservação do patrimônio cultural do povo brasileiro, foi recompensado em 1996, pelo
Prêmio Rodrigo de Melo Franco / IPHAN, outorgado pelo Ministério da Cultura do Brasil.
Rosemberg Cariry é proprietário da
Cariri Filmes, empresa especializada em produções audiovisuais, sobretudo de filmes e vídeos artísticos e educativos. Na cidade de Fortaleza, onde reside, é membro do Conselho de Cultura do Estado do Ceará e participa de várias entidades culturais públicas.
Um traço marcante da obra de Rosemberg Cariry é a busca sempre renovada das fontes e dos encontros culturais: procura extrair o universal do particular, estabelecer ligações entre as diferenças culturais e, em particular, entre as formas eruditas e populares. Assim, o seu trabalho, profundamente imerso na cultura no Nordeste do Brasil, chega ao universal, através de uma dimensão essencialmente humanista.


Corisco e Dadá (1996)
O capitão Corisco, cangaceiro famoso por sua crueldade, valentia e beleza, também chamado de Diabo Loiro, rapta a menina Dadá, aos 12 anos. Após estuprá-la, faz dela sua mulher e, também, integrante do bando do cangaço. Enquanto isso, Zé Rufino, o chefe da polícia volante, promete a si próprio tornar-se imortal, transformando-se no matador de Corisco, cuja cabeça fora colocada a prêmio pelo governo.

Elenco:

Chico Diaz
Dira Paes
Antonio Leite
Regina Dourado
Chico Chaves
Denise Milfont
Luiz Carlos Salatiel
Virginia Cavendish
Maira Cariry
B. de Paiva
Teta Maia

Ficha Técnica:

Gênero: Aventura
Duração: 103 min.
Lançamento (Brasil): 1996
Distribuição: riofilme
Direção: Rosemberg Cariry




Cine Tapuia (2006)


Informações do filme:

Gênero: Drama

Diretor: Rosemberg Cariry
Duração: 96 minutos

Ano de Lançamento: 2006
País de Origem: Brasil
Idioma do Áudio: português
Qualidade de Vídeo: DVD Rip
Tamanho: 1 Gb
Legendas: Sem Legenda


O cego Araquém, com a filha Iracema, vaga pelos sertões nordestinos projetando velhos filmes. Nessas andanças, Iracema conhece Martim, um velho camelô português que vende de DVD’S e CD’S piratas e tem planos mirabolantes como vender para ser colocada na estátua de Santo Antônio, ainda sem cabeça.
Martim está interessado nos lucros das romarias e na exploração turística do local que, segundo ele, se transformará na Nova Lisboa. Iracema, fascinada pelo exotismo da fala estrangeira, deixa-se seduzir por Martim.O filme traz, assim, uma reflexão sobre a cultura sobre a cultura e a história do povo cearense, retomando o mito fundador do povo brasileiro, proposto pelo engenho poético de José de Alencar, no romance Iracema, e fazendo uma homenagem ao famoso cantador Cego Aderaldo.



Download:








Patativa do Assaré - Ave Poesia (2007)


• Direção: Rosemberg Cariry
• Roteiro: Rosemberg Cariry
• Gênero: Documentário
• Origem: Brasil
• Duração: 84 minutos
• Tipo: Longa-metragem


O filme aborda a vida e a obra do poeta Patativa do Assaré, destacando a relevância dos seus poemas, o significado político dos seus atos e a sua imensa contribuição à cultura brasileira. Dono de um ritmo poético de musicalidade única, mestre maior da arte da versificação e com um vocabulário que vai do dialeto da língua nordestina aos clássicos da língua portuguesa, Patativa do Assaré é a síntese do saber popular versus saber erudito. Patativa do Assaré consegue, com arte e beleza, unir a denúncia social com o lirismo.